terça-feira, 22 de outubro de 2013

Os corredores que calculavam

Corredor que já virou corredor costuma dizer seu ritmo em min por km e não em km/h, como quem pega a estrada. Hoje eu tive 8km pra 6:10. Mas o que significa isso? Significa que eu devia manter um ritmo de 6min e 10s por cada km percorrido. Com o relógio Garmin (ou outros desses que tem GPS), configuro meu visor para mostrar o tempo, a distância percorrida, e o ritmo, que é justamente esse “min/km” no exato momento. Assim, consigo saber se preciso apertar um pouco o passo ou correr um pouco mais leve.

Na próxima quinta-feira, terei 5km a 5:50, o que significa que, se eu mantiver o ritmo médio de 5min e 50s por km, terminarei a corrida em 29min e 10s. Logo, não vou me deslocar até o parque para correr essa distância que me demandará pouco tempo. (O trânsito de São Paulo toma mais tempo do que a própria corrida).


Então, vou descer pra correr na esteira do prédio. E engana-se quem pensa que correr na esteira não é tão bom, só que esse será assunto para algum outro post. O que quero contar pra vocês agora é que, diante dessa decisão de correr na esteira, é preciso saber que velocidade colocar lá. As esteiras costumam marcar a velocidade em km/h e aí é que entra a matemática. Como saber em que velocidade devo correr na esteira para o ritmo dado em min/km?

Isso é conta que qualquer engenheiro como meu irmão tira de número (ops, tira de letra!) Agora, coloca uma advogada, que passou anos longe da matemática, pra fazer essa conta! É claro que sempre foi muito mais fácil perguntar pro meu irmão, né? Mas, como o Lucas não se conformava com o fato de eu não fazer uma conta boba dessas, ele sempre me explicava a linha de raciocínio, para que eu fizesse a conta sozinha.

Eu aprendia, e logo mais esquecia. Outro dia ele me explicou de novo, passo a passo, como explicarei pra vocês. Acontece que ele foi fazer intercâmbio e era hora de eu internalizar a explicação!

Meu amigo Rafa, que trabalha lá na Controladoria da Fundação OSESP e estudou Ciências Contábeis, me relembrou da explicação do Lucas. Tudo não passa de uma regra de três, em que a gente precisa ter cuidado, porque estamos usando uma medida de tempo.

Todo corredor pode guardar o seguinte: falar em 6min/km é o mesmo que falar em 10km/h. 

Isso porque:
6min --------------- 1km
60min ------------- 10 km

(6min está para 1km assim como 60min (1h) está para 10km)

Pegando o exemplo do ritmo de 5min50s/km, preciso:

I. Transformar os segundos em minutos. Assim:

60s = 1min
50s = X

X = (50s . 1min)/60s
X= 50/60 min
X= 5/6 de min 
X = 0,83333 (50s = 0,8333)

Assim, o ritmo de 5min50s = 5,8333 min

II. Finalmente, trabalhando com a mesma unidade, podemos aplicar a regra de três:

5,8333min ----------- 1km
60min ------------------ Y

Y = 60/5,8333
Y = 10,28… 

Ou seja, na próxima quinta-feira, posso correr na esteira com velocidade aproximada de 10,3km/h.

Bom, esse é o raciocínio para os corredores que, como eu, não fazem essas contas de cabeça.
Afinal, pra correr, também é preciso calcular.

Bom dia, multiplicado pela semana e dividido para todos vocês!

2 comentários:

  1. Eu achava frescura usar garmin. Hhoje, se corro sem, fico perdido.
    Ramiro - Porto Alegre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Ramiro! A gente fica dependente do Garmin, né?!
      E o Garmin é além de tudo, um motivador!
      Antes de correr a meia de Disney, fui com meus pais na feira da maratona.
      Era uma feira beeem completa. E lá vendiam camisetas com frases engraçadas...
      Uma delas era assim: "If you see me collapse, pause my Garmin"! ;)

      Excluir