domingo, 17 de novembro de 2013

Os clássicos 10km da São Paulo Classic

Havia me esquecido de como era correr uma provinha de 10km...

Esse ano, as minhas únicas provas haviam sido: duas meias maratonas (21,1km) - Corpore em abril e Asics em julho - e uma maratona (42,2km) - Québec em 25 de agosto de 2013.

Como não penso em fazer minha segunda maratona tão logo, a ideia por ora é melhorar velocidade e ter mais rodagem. Tudo isso é fundamental para ter "base", e para eu poder me aventurar, futuramente, em outra maratona!

Vamos a hoje! Era dia de uma das grandes corridas organizadas pela Corpore, a São Paulo Classic - Troféu Zumbi dos Palmares. Tinha opção de 3,1 e de 10km, conforme mapas abaixo, retirados do site da Corpore.


Despertei às 5h50 deste domingo e medi minha frequência basal, o que não fazia há meses!

Café da manhã: 1 copo de água gelada e depois 2 fatias de pão integral com 1 fatia média de queijo branco + 1/2 copo de suco de laranja.

Fui com minha mãe até o parque Ibirapuera, onde estacionamos o carro e de lá fomos andando/trotanto até a largada da prova, na Assembleia Legislativa.

A prova já tinha largado há 6 minutos. Largamos com os caminhantes e minha mãe disse que eu podia ir embora.

Bem, larguei atrasada e, portanto, ao meu lado quase só havia caminhantes. O lado bom era que eu podia desenvolver a corrida, o que costuma ser meio difícil no primeiro quilômetro, com mais de mil corredores largando amontoados. Outra coisa boa é que eu só ultrapassava as pessoas, do começo ao fim! E não vou negar, isso tem lá a sua graça! rs

Meu treinador tinha dito para eu tentar correr de forma progressiva e sem olhar o tempo. Então, meu Garmin estava coberto com micropore e eu corria despreocupada com ritmo e tempo final. Éramos eu, a rua, os corredores, e a garoa, que logo virou uma chuva persistente.

O percurso bifurcou quando os caminhantes de 3km estavam prestes a acabar a prova deles. Segui à direita, com aqueles que foram para os 10km.

Tomei golinhos de água sempre que via um posto de hidratação. Eram dois golinhos e eu tinha que jogar fora o resto do copinho. Um desperdício necessário para manter a hidratação sem hidratar além da conta, o que prejudicaria qualquer rendimento.

Lá pro meio da corrida, teve subida, mas tudo que sobe desce. E aquela subida da 23 de maio não me assustava mais depois daquelas que eu tinha encontrado na maratona. Principalmente porque hoje a subida tinha fim! rs

Aliás, o interessante é que a prova de 10km acaba rápido!

Foi assim que logo avistei a linha de chegada.

Tirei o micropore para ver meu tempo: 55:09:71, para 10km e 100m, o que significava uma média de 5min27s por quilômetro.

Eu sinceramente não lembrava qual tinha sido meu melhor tempo nos 10km, mas acho que posso adotar esse! :)



Na corrida de hoje, cruzei com o Emerson Bisan, marido da Aurea, que também estreou na maratona esse ano, e treinador do Gustavo, professor e amigo do meu pai.








Ao final, como meu pai é diretor técnico da Corpore, encontramos o David e o Armando, o presidente e o diretor executivo da Corpore, respectivamente!
Foto com a Diretoria! David e Armando, parabéns pelo trabalho!
E então, fim de papo! Depois dessa chuva, casa e banho quente!
Começou com garoa e acabou com muita chuva. Foi uma ótima corrida!

2 comentários:

  1. Foi bem legal mesmo!!! A chuva me fez querer acabar a prova antes, mas como todos temos os nossos limites quem determina o tempo são os nossos treinos, bem mais que uma boa chuva...Parabéns mais uma vez Marininha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, mãe!!! :)
      E desculpa por ter falado tanto no seu ouvido por estarmos atrasadas para largar!
      Ao que parece, estava tudo planejado para que não fosse diferente! rs
      Obrigada por ser minha companheira sempre!
      Parabéns pra vc tbm! A mãe corredora mais linda!
      Beijos!

      Excluir