segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Tem dia que sim, tem dia que não...

Existem dias-sim e existem dias-não...

No domingo retrasado, o Marcão havia proposto treino de 16km para o ritmo de  5:50 (5min e 50s por km).

Comecei numa boa! Depois da primeira volta de 6km, porém, já me senti mais cansada. Fazia MUITO sol. Devia estar por volta de 30 graus e o parque estava cheio. Meu ritmo caiu e por vezes eu parava um pouco, andava, e recomeçava.

Eu queria encontrar alguém pra me puxar... Atendendo os meus pedidos, no meio daquele monte de gente, encontrei o Waldyr, e com ele corri mais ou menos do km 9 ao 12. Achei que me ajudou muito, mas logo ficou difícil de novo, e fui até o final mesmo assim. =/

Mais tarde, após ler meus comentários sobre o treino, o Marcão me mandou mensagens no "We chat" dizendo que o treinamento deve ser evitado da forma como eu havia feito. Disse que eu deveria ter abortado o treino logo ali no km 6 e voltado para casa, porque é uma agressão muito violenta para o organismo quando ele avisa que não consegue mais correr, e tentamos forçar de qualquer jeito.

Mas isso tudo poderia ter diversas causas: eu tinha dormido muito pouco naquela semana, atrasei um dos treinos de manhã para a noite, e os treinos ficaram mais próximos, com menor intervalo de descanso. Além disso, um deles havia sido de fartlek (um treino específico para adquirir velocidade)... Somado a isso, as condições climáticas vieram desgastar mais. E por isso que enquanto todos torcem por fins de semana ensolarados, às vezes eu torço por domingos fresquinhos (para ter o parque um pouquinho mais para mim, como nas manhãs dos dias de semana).

Passou uma semana e eu precisei abortar o treino do sábado. A questão é que tem hora que é preciso ser flexível para que a atividade física seja mais lazer do que compromisso. 

Saí à noite. Bebi caipirinha (minha nutricionista já está sabendo!) Dormi de madrugada (ou melhor, de manhã). Acordei cedo e fui com minha família para o aniversário de 90 anos de uma tia. Era num sítio, no interior. Fui já trocada e equipada para meus 10km, mas chegando lá, meu estado e aquele sol escaldante não me permitiram correr. Esse poderia ter sido outro dia-não, mas eu precisava queimar aquele churrasco e o bolo de aniversário! 

Então, de volta à São Paulo, com o clima ainda quente, mas com uma lua no lugar do sol, desci para correr na esteira do prédio e consegui fazer meus 10km num ritmo médio de 5:48. Foi ótimo! 

E depois do treino, pra refrescar, um pulo na piscina!

E a lição que fica é que fazem parte dos treinos o descanso pro corpo e o descanso pra alma! 

2 comentários:

  1. Se o corpo pede pra descansar, descanse... Essa licao e' muito boa pra todo mundo. :))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Monica! O descanso ajuda muito. Sempre tive days off antes dos meus treinos de 30km e isso fazia toda a diferença! :) Assim como também fez diferença para a própria maratona!
      Espero que esteja tudo bem com vc por aí, e obrigada por sempre participar aqui!
      Beijos!!

      Excluir